retinopatia diabética curitiba

10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Retinopatia Diabética

A retinopatia diabética é uma doença que acontece quando há o excesso de glicose no sangue e acaba danificando os vasos sanguíneos dentro da retina. Se o paciente não procurar tratamento, a visão pode acabar ficando muito comprometida.

Saiba mais sobre as 10 informações sobre a retinopatia abaixo:

1: A retinopatia diabética pode aparecer e o paciente não notar diferença na sua visão. Mas, com o decorrer do tempo, a visão pode piorar, e levar a cegueira, se não for tratada.

2: Essa retinopatia possui quatro fases:

Fase Inicial – é não proliferativa, e nela ocorrem os microaneurismas, que são áreas pequenas de dilatação dos vasos pequenos da retina;

Fase Moderada – é não proliferativa, e nessa fase alguns vasos são bloqueados;

Fase Severa – é não proliferativa, e nessa fase mais vasos sanguíneos são bloqueados, muitas regiões da retina não recebem mais sangue. Por isso, essas regiões não recebem oxigênio suficientes e enviam avisos ao organismo para a formação de novos vasos para a sua nutrição (neovascularização); e

Retinopatia Proliferativa – é conhecida como a fase mais avançada dessa doença. A retina envia sinais para que haja uma melhor circulação de sangue. Isso faz com que aumente a quantidade de vasos sanguíneos defeituosos e frágeis.

3: A existência dos vasos sanguíneos com defeito não provoca sintomas ou perda de visão. Como têm paredes frágeis, podem acabar se rompendo e espalhando sangue pela cavidade vítrea. Isso sim, pode acabar resultando na perda da visão.

4: Todo paciente com diabetes tipo 1 ou 2 deve fazer o exame de fundo de olho ao menos uma vez no ano e manter controlado os níveis glicêmicos para evitar os problemas de visão.

5: Os cuidados devem ser com a visão devem ser mais intensos na gravidez. As gestantes com diabetes necessitam fazer um exame de fundo de olho pelo menos a cada trimestre gestacional para proteger a vista.

6: A retinopatia geralmente não apresenta sintomas. Porém, ao ocorrer a hemorragia vítrea, a pessoa pode ver alguns pontos de sangue ou até mesmo manchas flutuantes na visão. Procure o oftalmologista Dr. Alexandre Grandinetti em Curitiba ao primeiro sinal de visão borrada.

7: Não é necessário nenhum tratamento oftalmológico durante as três primeiras fases da retinopatia diabética, com exceção de quando há edema macular. Contudo, pode ser feita a fotocoagulação parcial na fase 3 muitas vezes.

8: O tratamento da retinopatia proliferativa é feito com panfotocoagulação a laser. Nele, as áreas sem oxigenação e os vasos sanguíneos neoformados são fotocoagulados. É normal que seja necessário duas ou mais sessões de aplicação a laser. Se houver uma hemorragia severa, talvez seja preciso de uma cirurgia que é chamada de vitrectomia para ser feita a remoção do sangue do olho.

9: O órgão que gerencia e apoia pesquisas que possuem o objetivo de encontrar métodos novos de diagnóstico, tratamento e da prevenção da perda de visão em pessoas com diabetes é o National Eye Institute (NEI). Há pesquisas sobre medicação que pode impedir a retina de mandar sinais para o corpo, evitando, dessa forma, a neovascularização retiniana.

10: Para prevenir a retinopatia diabética a melhor forma é mante os níveis de glicemia controlados. E, é necessário manter a pressão arterial controlada e as taxas de colesterol. Tudo isso auxilia a proteger os olhos e a saúde como um todo.

Tratamento da Retinopatia Diabética em Curitiba

Para maiores informações, clique no link acima ou entre em contato com o Dr. Alexandre Grandinetti, especialista em Doenças de Retina em Curitiba.

 

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *